A Emape.

Além do pioneirismo a Emape se destaca pela qualidade, o que a tornou uma das maiores empresas produtoras de ovos do Nordeste, graças t a m b é m à i n o v a ç ã o t e c n o l ó g i c a , à responsabilidade sócio-ambiental e o respeito aos seus consumidores.
Neste momento em que chega aos 50 anos, a Emape supera etapas, se renova, moderniza-se e avança tecnologicamente, ampliando as unidades de A EMAPE HOJE.

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

Barreiras-BA e Tianguá-CE, para um plantel de 500.000 e 750.000 aves e uma produção de 320.000 e 500.000 ovos/dia, respectivamente, totalizando 820.000 ovos/dia de produção.

AUTOMAÇÃO

Ambas as granjas tem aviários com distribuição automática de ração, coleta de ovos e de esterco, por esteiras transportadoras, que abrange a transferência de ovos até o entreposto, onde são classificados e embalados tudo, automaticamente.

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

É uma constante a capacidade da Emape de empreender atividades com inovação tecnológica na área avícola.
Exemplo presente é o projeto com a consultoria do Prof. Dr. Francisco Militão de Sousa, de produção de aves mais resistentes ao clima quente e seco, para habitar pequenas fazendas e sítios, com exploração própria de economia familiar.
Assim é que a Emape passou a produzir na sua granja de Mucunã – Maracanaú – CE, o capote (galinha de angola) por inseminação artificial, usando diluente de água de côco, desenvolvido pelo Prof. Dr. José Ferreira Nunes e sua equipe de pesquisadores da Faculdade de Veterinária da Universidade Estadual do Ceará – UECE.. Para tanto importa da GRIMAUD – especialista em genética, da França,
ovos férteis de aves avós de galinha de angola (capote), incubandoos e produzindo os pintinhos, que na granja são selecionados e formados em aves, produção dos capotinhos de um dia e sua distribuição , juntamente com pinto caipirão do pescoço pelado, em todo o território nacional.

O EMPREENDEDOR

Roberto Pessoa tinha 20 anos quando iniciou suas atividades empresariais, sendo um dos pioneiros da avicultura do Nordeste.
A i d a d e e r a desproporcional ao arrojo e à vontade de crescer empresarialmente. Aos poucos, o jovem empresário teceu a estrutura e os objetivos do seu empreendimento, sobressaindose, desde a concepção inicial, os compromissos básicos de uma empresa com o máximo de respeito ao consumidor, com responsabilidade social e ambiental, renovação tecnológica e produção com qualidade. Somados a esses compromissos, Roberto Pessoa ambicionava ainda transformar seus funcionários em colaboradores, parceiros e amigos, sendo Francisco Ferreira de Santana, o Coelho, o seu primeiro funcionário e nobre amigo, que aposentou-se na empresa, após mais de 40 anos de abnegação ao trabalho com as aves.
Foi ele que há 50 anos recebeu na granja o primeiro lote de 200 pintinhos, no aviário que deu início à Emape, em Mucunã – Maracanaú-CE.
Com esse espírito a Emape cresceu e com a dedicação de seus funcionários, o empenho dos seus ex-diretores Clemente Raach, Edilson Freitas, Prof. José Inácio de Sousa (1º Veterinário), Rui Mendonça, Valdir Pessoa, Paulo Coe, entre outros colaboradores, a competência dos gerentes e diretores atuais, tornou-se uma das maiores produtoras de ovos comerciais do Norte e Nordeste. Além das primeiras granjas localizadas em Mucunã – Maracanaú, instalou unidades em diversos municípios do Estado do Ceará, como Caucaia, Chorozinho, Eusébio, Guaiuba e Pacajus. Na sua expansão, buscando desenvolver seu crescimento em locais mais próximos da produção dos insumos básicos para a atividade avícola,instalou unidades em Barreiras-BA e Araguaína- TO. Com apenas 26 anos, Roberto Pessoa foi eleito presidente da ACEAV – Associação Cearense de Avicultura. Foi também vice-presidente da FACIC – Federação das Associações de Indústria, Comércio e Agropecuária do Estado do Ceará, diretor da FIEC – Federação das Indústrias do Estado do Ceará e da FAEC – Federação da Agricultura do Estado do Ceará.
Igualmente, assumiu a presidência do orgão máximo de representação do setor avícola, a UBA – União Brasileira de Avicultura e também participou da fundação e presidiu a ANA – União Nordestina de Avicultura.
Sua liderança e o incentivo dos amigos o levaram a abraçar a carreira politico-partidária e para tanto afastou-se da empresa em 21/05/1990, disputou e assumiu um mandato de deputado estadual, três mandatos de deputado federal e dois mandatos de prefeito de Maracanaú, a segunda cidade mais importante econômico e socialmente do Estado do Ceará.